Mara Maravilha não quer deixar herança para o pai: 'Não me criou'

Mara Maravilha (Foto: Divulgação)Mara Maravilha (Foto: Divulgação)
Desde que sua mãe morreu em janeiro de 2013, Mara Maravilha tem uma preocupação: para quem ficará sua herança quando ela morrer. Pela lei brasileira, como Mara não tem filhos e não é casada, seu patrimônio ficaria com seu pai. Isso incomoda a cantora e o EGO conversou com ela para entender por que já se preocupa com essa questão e por que não ficaria satisfeita tendo o pai como herdeiro.

A lei brasileira assegura que em testamento Mara poderia direcionar metade dos seus bens para quem quisesse, mas pelo menos 50% ficaria com um herdeiro direto. No caso dela, o pai. Ela conta que gostaria de poder deixar sua herança para pessoas mais próximas, como seu padrasto e sua avó: “Tem pouco tempo que minha mãe morreu, eu realmente tenho que resolver esses assuntos. Sou filha única e tem muitas coisas da minha mãe que vão passar para o meu nome e não tenho filhos. Essa é uma parte da história, a que eu vivi. A outra parte é que meu pai não me criou. Tive pessoas que me ajudaram como é o caso do meu padrasto, Raimundo Souza, que é uma pessoa humilde, e tem minha avó quem eu chamava de mãe também. Eu não acho que tem justiça para este tipo de caso”, desabafa.
Parece que sou uma filha ruim. Não sou um ser humano ruim, sou movida a amor e justiça"
Mara Maravilha
Mara foi criada pela mãe, Dona Marileide, e viu o pai, o comerciante Eliezer Silveira, poucas vezes na vida. Segundo a cantora, a relação nunca foi próxima. “Em 45 anos, se eu estive com ele três vezes foi muito. E sempre em situações bem demarcadas e não dá pra construir uma nova história. Nas poucas vezes em que estive com ele, logo que queria reconciliar a relação já veio essa situação de pedir ajuda. Mas ele não é um homem desprovido, tem outros filhos. Se fosse alguém precisando, eu ajudaria como ajudo outras pessoas”, explica Mara.
Na tentativa de evitar a exposição e uma possível briga, a cantora foi orientada por seu advogado a escrever uma carta pedindo que Eliezer abrisse mão da possível herança. Não deu certo. O pai não quis assinar e Mara ficou magoada. “Decidi tentar e, por um momento, eu tive quase certeza de que ele iria assinar como prova de amor. Criei uma expectativa e a minha decepção foi maior ainda do que o fato de ele não ter me criado. Ele não ter entendido isso, que seria um gesto de amor. Nessa história não sou eu quem estou faltando com amor ou com desapego material”, diz.
Patrimônio inclui três imóveis
Atualmente, o patrimônio de Mara é composto por três imóveis, uma empresa que administra sua carreira e o que ela ganha pelos direitos autorais de suas músicas. Com a morte da mãe, ela ainda receberá mais dois imóveis. A cantora não gosta de falar em valores, mas admite que vive bem: “Meu maior patrimônio é a minha história de vida. Tenho um bom patrimônio material que posso assegurar que a minoria no país tem, sou uma pessoa privilegiada”, afirma ela. "Nessas situações eu acho que independe se é um patrimônio grande ou uma mobilete. Essa situação do Brasil é para ser revista. Não é para criar uma picuinha com meu pai, sair como uma filha que não honra os pais”, acrescenta ela, que virou corretora de imóveis e costuma comprar apartamentos para reformá-los e revender.
Mara pretende fazer da sua luta um projeto de lei: “Nunca fui candidata a nada nem sei se pretendo, mas não tenho medo de me expor e dar minha opinião. Esse meu caso não é único, meu email está lotado de pessoas que enfrentam a mesma situação. Isso que estou expondo num momento tão delicado não é por ódio nem por um sentimento que não seja de justiça. Porque como pessoa eu amo meu pai, parece que sou uma filha ruim. Não sou um ser humano ruim, sou movida a amor e justiça. Então é por isso”, acrescenta.
Mara Maravilha e a mãe, Marileide (Foto: Reprodução/Instagram)Mara Maravilha e a mãe, Marileide
Caso o pai de Mara venha a assinar o documento, a briga da cantora não terá chegado ao fim. A carta não tem valor legal, mas poderia ser levada em consideração por um juiz em caso de disputa. O advogado de Mara chegou a aconselhar que ela adotasse uma criança para deixar seus bens para alguém mais próximo, mas a cantora não se sente confortável.

“Acho muito sério e não sei se estaria preparada para isso. E não seria justo usar disso pra resolver outro assunto. Eu tenho muito receio de adotar, não é por falta de amor, amo criança. Estou lançando um CD novo chamado ‘Vai tudo bem’ e tem uma música que chama ‘Projeto Santo’. Minha vida é um projeto santo. Eu já fiz inseminação e não engravidei. Se eu não tive é porque Deus tem um projeto diferente”, diz ela.

Apesar da mágoa, a cantora ainda acredita em superar esta história: “Meu sonho é que tenha uma situação, não montada, que eu olhe nos olhos dele e a gente entenda que não tem culpa da vida. Eu gostaria de tirar essa pendência entre eu ele”, afirma.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DN1 A Banda que está conquistando o Brasil

Bomba: Vaza vídeo íntimo de cantor gospel se exibindo da webcam

J.Neto grava “Eu sou esse cara”, versão gospel da música de Roberto Carlos. Ouça