Luta pela Paz: projeto utiliza o boxe como ferramenta de inclusão social e vira referência

Luta pela Paz: projeto utiliza o boxe como ferramenta de inclusão social e vira referência
O projeto Luta pela Paz é uma iniciativa do ex-boxeador Luke Dowdney, que em 1995, ao concluir seu mestrado em Antropologia Social pela Faculdade de Edimburgo, na Escócia, resolveu escrever sua dissertação sobre a violência sofrida por crianças de rua no Brasil.
Durante sua pesquisa, o ex-atleta e antropólogo conviveu com crianças e jovens expostos à violência e vulnerabilidade de direitos humanos. A partir daí, resolve usar sua experiência com o boxe como ferramenta de inclusão social e de transferência de princípios, como disciplina e autoconfiança.
Em 1997 foi convidado pela ONG Viva Rio para trabalhar como voluntário, e durante sua temporada de voluntariado, trabalhou na criação do Luta pela Paz e implantação do projeto no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro.
A partir de 2007, o projeto se tornou uma entidade independente da Viva Rio e passou a atuar como uma ONG, exportando o modelo de inclusão social para crianças, adolescentes e jovens.
Do projeto no Complexo da Maré saíram ações semelhantes no Reino Unido, e o projeto ganhou menção de destaque no livro “Another System is Possible – Reforming Brazilian Justice”, publicado a partir de uma parceria do Ministério da Justiça com a Associação Internacional de Advogados. O propósito do livro é mostrar iniciativas brasileiras que podem ajudar a sociedade em todo o mundo na questão da justiça, segundo informações do telejornal Bom Dia Brasil, da TV Globo.
Em doze anos de atuação, o projeto cresceu e atualmente conta com 87 funcionários, além de atender anualmente mais de 2.250 jovens.
Para saber mais sobre o projeto Luta Pela Paz, acesse o site fightforpeace.net e conheça as demais ações da ONG.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DN1 A Banda que está conquistando o Brasil

Bomba: Vaza vídeo íntimo de cantor gospel se exibindo da webcam

J.Neto grava “Eu sou esse cara”, versão gospel da música de Roberto Carlos. Ouça