Asaph Borba – O homenageado do Troféu Promessas 2011

No ano em que comemora 35 anos de ministério, Asaph será o homenageado da primeira edição do Troféu Promessas e prova que simplicidade é a marca de seu chamado
Asaph Borba é considerado o ‘pai do canto congregacional brasileiro’. Sua trajetória de sucesso marca uma parte importante da história da música cristã no Brasil. E, por essa e outras tantas razões, ele será o homenageado do Troféu Promessas 2011. Além de cantor e compositor, Asaph é arranjador, produtor, maestro, músico, pai, esposo, quase jornalista formado e um dos mais conhecidos ministros de louvor do país.
Mesmo com sua agenda corrida, Asaph Borba investiu tempo em compartilhar, dentre outras coisas, o que significa o Troféu Promessas nessa nova fase de sua vida e ministério. Pode-se dizer que é praticamente impossível fazer uma edição sequer de uma entrevista com ele, tamanha sua experiência de vida. Qualquer palavra que se tire pode parecer uma perda inestimável para o leitor. Então, deixemos que ele fale por si mesmo. Confira!

Troféu Promessas: Após gravar o seu CD/DVD comemorativo de 35 anos, o que significa participar do Troféu Promessas, que visa reconhecer o trabalho daqueles que, como o senhor, exaltam fielmente o nome de Deus por meio da música?
Asaph Borba: A gravação foi um grande evento, muito acima daquilo que podia esperar. Foi um trabalho feito com maestria, que estamos finalizando agora com um patamar técnico muito bom. O que tenho no coração é gratidão e alegria por ver a continuidade do processo, por meio dessa escolha do Troféu Promessas. Este projeto não é apenas um troféu, mas um espaço em que poderemos proclamar a glória de Deus no nosso país e na nossa terra. Por meio de uma grande rede, podemos divulgá-lo em todos os sites, em todas as mídias sociais e eu quero me empenhar pessoalmente na minha agenda – que é muito grande – para divulgar o Troféu Promessas como um momento histórico da Igreja. Que não seja apenas um recebimento de um troféu, nem por mérito, nem por beleza, nem por melhor disco, melhor trabalho, nada, mas sim pela possibilidade de nós, juntos, proclamarmos a glória de Deus.

Troféu Promessas: Na sua carreira profissional consta também o trabalho como supervisor de áudio da Globo. Assim, o senhor tem uma experiência pessoal com o meio. Explique a importância de um evento deste porte para os evangélicos, tendo a Rede Globo como apoiadora.
Asaph: Fui supervisor técnico de uma sucursal da Rede Globo e fui um dos pioneiros de todas as redes nacionais em implantar o sistema digital da Rede Globo, e o sistema de qualidade no Rio Grande do Sul. Agora, tenho a possibilidade de estar do outro lado das câmeras, pois antes ficava apenas nos bastidores, promovendo a parte técnica. Hoje, Deus me dá a chance de estar do outro lado fazendo aquilo pelo qual eu saí da Globo para fazer, proclamar o Reino de Deus. Acredito que esse Troféu, promovido pela Rede Globo, terá uma amplitude nacional e fico honrado de ter sido escolhido como o homenageado.

Troféu Promessas: Mas como é buscar viver o que se prega e expressar a vida de Deus em cada composição e ministração?
Asaph: Tenho duas coisas que balizam minha vida nessa área: responsabilidade e humildade. Quero viver em humildade diante de Deus e dos meus irmãos. Em Atos 13.36, mostra que Davi foi lembrado por ter servido à sua geração. O que eu quero é servir à minha geração. Servir com amor, com alegria, com exemplo.

Troféu Promessas: Com a experiência de ter sido discipulador de grande parte dos artistas cristãos da música gospel brasileira, que conselho daria para quem está iniciando sua jornada de serviço ao Senhor?
Asaph: Primeiramente, ame a Deus de todo coração porque o amor ao Senhor, a paixão por Ele é o que mantém a nossa vida. Segundo, que elas estejam vinculadas à igreja, porque a igreja é a fonte de relacionamentos, recursos e inspiração de um ministério. Se uma pessoa não mantém um vínculo profundo com a igreja ela vai se perdendo no decorrer da caminhada. Seja vinculado aos seus pastores, seja amigo dos irmãos, tenha gente perto de você, tenha pessoas a quem você se reporte, pessoas que podem lhe dar um “puxão de orelha”. Todo ministro precisa ter alguém de confiança que se torne um “companheiro de ajustes”, uma pessoa que o ajude a permanecer no rumo certo, para acertar o alvo. Sempre encontro esse apoio nos meus pastores discipuladores, pessoas que têm me ajudado nesses 35 anos de ministério. Ainda tenho os mesmos pastores, Erasmo Ungaretti e Moyses Moraes, pessoas que continuam sendo meus tutores, os responsáveis pela minha vida e a quem me reporto e continuo tendo um vínculo de amor e aliança. O terceiro ponto é a excelência. Buscar ser o melhor possível dentro dos seus recursos e dons, sempre fazendo o melhor para Deus.

Troféu Promessas: O que a música gospel brasileira ganha com uma premiação como esta?
Asaph: Creio que esse Troféu não irá apenas premiar, mas também congregar. Para mim a ênfase é essa. Aquele lugar não será um palco, mas sim um altar. Um altar de Deus para minha vida, como muitos que tenho levantado todos os finais de semana no decorrer da minha história, em lugares, países, nações diferentes. Deus me levará ao Troféu para edificar um altar santo a Ele. Ali será um local para proclamar a glória de Deus no Brasil e pelo mundo afora. Acredito que será um dia histórico para o país.

Troféu Promessas: Como consegue conciliar a divulgação do novo CD/DVD, a carreira como jornalista, o pastoreio, viver intensamente em família, ministrar, dirigir uma gravadora e desenvolver tantos outros projetos?
Asaph: Primeiramente, seja intenso em tudo. Esta é a palavra chave da minha vida: intensidade. Quando estou em casa sou um pai intenso. Quando sou o marido da Rosana, sou um marido intenso. Quando estou dentro da Life, sou um diretor intenso. Lá na faculdade sou um aluno intenso, não perdi nenhuma aula e dentro de três meses estarei formado. Quando estava na gravação do meu CD, era só aquele projeto com intensidade. Quando estiver no Troféu Promessas vou ser intenso naquele lugar. No outro dia saio para a Turquia e vou ser intenso na Turquia. Quando retornar, irei direto para o navio com o Cruzeiro do Diante do Trono e vou ser intenso dentro daquele navio. Faço de todo meu coração. Essa marca da intensidade está presente em minha vida e ministério. Vivo com intensidade diante de Deus. Não devemos nunca fazer nada pela metade e sem o coração.

Troféu Promessas: Após 35 anos de ministério o que ainda é inédito?
Asaph: Fazer um contrato com uma gravadora que não fosse a Life com quem convivi a vida inteira; ser pai de um adolescente; participar de um cruzeiro pela primeira vez na minha vida e participar do Troféu Promessas na Rede Globo. Tem muitas coisas inéditas acontecendo em 2011, parece que uma nova estação da minha vida está nascendo realmente.

Troféu Promessas: Como se sente sendo o homenageado do Troféu Promessas 2011?
Asaph: As homenagens são pequenas coroas que recebemos pela vida. Na Bíblia aprendemos a depositar as nossas coroas diante do altar de Deus. E é o que vou fazer com mais essa homenagem, depositá-la diante do altar de Deus. É por causa Dele que eu a recebi.

Troféu Promessas: O que representa ter suas canções ministradas em várias nações?
Asaph: É uma honra para mim e eu sempre recebo isso com alegria. Há poucos dias recebi um vídeo do Egito onde estava cantando uma canção produzida com excelência, dentro de um dos santuários cristãos mais antigos da humanidade. Lá ministrava um cântico que me foi dado por Deus, chamado “Eu Nasci para Adorar”, foi muito emocionante. Esses sãos os troféus eternos. Troféus como o que irei receber, feito por algum material, são bonitos, mas passageiros. Respeito a excelência e o amor de quem entrega, mas para mim os grandes troféus nenhum de nós podemos mensurar. São aqueles que vão para a eternidade. Aqueles que têm valor eterno. São as palavras que você deposita na vida de uma pessoa e ela é transformada. Esses sãos os troféus de um ministério. Uma palavra, um cântico no qual você abençoa uma vida. Se você só valorizar os grandes troféus que recebe pela vida afora, vai perceber que esses são passageiros. O precioso da vida e do ministério é quando não se consegue mensurar aonde se chegou. Se eu me encher de troféus, de grana, tudo isso consigo mensurar. Mas quando me lembro do meu irmão da Jordânia, dos Emirados Árabes, do Egito, por onde eu já passei e alguém foi abençoado, ali sim deixei um verdadeiro troféu. Alguns deles, não sei e nunca vou saber mensurar, só na eternidade, que pela graça do Senhor nós vamos conquistar.

Troféu Promessas: Deixe-nos uma palavra final.
Asaph Borba: Gostaria de conclamar a todos que estão participando: você tem um compromisso com a glória de Deus naquele lugar. Este é o meu chamado pessoal agora que estamos dando um ‘start’ para o Troféu Promessas. Cada participante tem um compromisso com a glória de Deus.

Em poucas palavras, Asaph Borba edição 3.5:
Uma palavra:
Jesus.
Maior presente: Salvação.
35 anos de missão: Fidelidade.
Família: Rosana, Aurora e André.
Ministério: Serviço.
Deus: Pai.
Saudade: Meu querido amigo e companheiro de ministério, Donald Stoll.
Desejo: Continuar.
Esperança: Vida eterna.
Desafio Pessoal: Mais 35 anos.

Comentários

Anônimo disse…
[url=http://alternatefuel.ru/#orrif]nice site[/url] - mega page , http://alternatefuel.ru/#xkjsa mega page

Postagens mais visitadas deste blog

Bomba: Vaza vídeo íntimo de cantor gospel se exibindo da webcam

J.Neto grava “Eu sou esse cara”, versão gospel da música de Roberto Carlos. Ouça

Por onde anda?